segunda-feira, 29 de outubro de 2007

O Dragão do Pai


Que tarefa dificílima é ser Pai. Acho que todo Pai deve ter um Dragão de estimação, ou será que nossos filhos são nossos Dragões? Vejamos, Breno meu filho mais velho é um furacão, está sempre correndo, desajeitado tipo que derruba água no sofá, comida no carpete, quebra os brinquedos, não sabe onde deixa os objetos. Resumindo sempre apronta suas traquinagens.
Beatriz, a mais nova, é uma bagunceira, deixa tudo largado, não apaga a luz, deixa a TV ligada, larga tudo pelo chão , seja brinquedo, roupas ou papel de bala.
Com essa descrição , você deve pensar a casa deles é um caos. Pois não é bem assim, meu Dragão da Organização não deixa isso acontecer, porém ele berra muito alto e muitas vezes cospe fogo.
Acho que me entenderam né? Ao mesmo tempo, Breno tem um sorriso largo, contagiante é extremamente sincero e amoroso, Beatriz é a disposição em pessoa, você pede ajuda ela ta pronta, muito delicada e doce.
Eu fico imaginando com tudo isso, o quanto eles me ensinam, me testam e chamam meu Dragão para brincar. Eu fico imaginando o quanto eu tenho que controlar meus berros e rajadas de fogo, mas também o quanto eles são necessários para ajuda-los a enfrentar seu Dragões da desatenção e do descuido.
O importante é que existem Dragões, para serem vistos, observados e transformados .
Acho que todo Pai tem um Dragão do seu lado. Ainda Bem!

Um comentário:

Dirribeira disse...

Filhos, um sonho meu pra longo, longo, longo prazo, lá em casa faz falta a alegria de criança (TÁ CEDO, TÁ CEDO!!)